Golpe de Vista

GP Joaquim Agostinho visto por Nuno Meireles

Caiu o pano sobre o Grande Prémio Joaquim Agostinho.

Dois dias duros, e para duros, com quase 300 km percorridos. Uma prova que seria ganha por Frederico Figueiredo(Tavira), vencedor também da segunda etapa. Por equipas o triunfo foi para a formação do Rádio Popular/Boavista, do pacense Hugo Nunes, que foi 2º na geral das metas volantes. Outra das formações em competição foi a Aviludo/Louletano, de Nuno Meireles, que nos deixou a sua opinião sobre a prova e, claro, também com a importância da mesma para comprovar, que mesmo em tempos de pandemia, o ciclismo pode, e deve animar as estradas portuguesas.

Voltar à competição foi como uma “renovação” da modalidade, estávamos todos ansiosos pelo seu regresso, pois todos os dias lutámos para que o ciclismo regresse à normalidade . Voltar às estradas com o pelotão e voltar a sentir toda a adrenalina dos kilómetros percorridos é sem duvida gratificante. Apesar de toda a “rivalidade” saudável que existe nas equipas, estamos neste momento em pelotão compacto a tentar vencer a camisola amarela desta pandemia. Tanto os campeonatos nacionais como o Troféu Joaquim Agostinho, provaram junto com a Federação e todas as equipas que é possivel fazer-se ciclismo com toda a segurança. “

Nuno Meireles fez também a análise ao seu trabalho e da sua equipa, nesta prova, que como refere, serve de preparação para a Volta a Portugal.

Neste prémio a nível pessoal foi bom para ver que o trabalho esta a ser bem feito e em breve voltamos às estradas portuguesas para a grande Edição Especial da Volta a Portugal. Na primeira etapa fui a para a fuga do dia e conseguimos com o Sergey Shilov (campeão nacional Russo ) o 28° lugar apenas a 26 segundos do vencedor. Na segunda etapa estivemos representados na fuga do dia com João Matias e no final eu consigo o 22° lugar a 50 segundos do vencedor. Foi uma prova para perceber qual o estado de forma atual e ganhar algum ritmo de competição. Também íamos com algumas incertezas a nível da forma de cada um, pois alguns já estavam sem competir há algum tempo“.

O Nuno Meireles será presença assídua aqui na nossa página, durante a Volta a Portugal Especial, com crónicas sobre cada etapa.

Foto: João Fonseca

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Prémio GdV – Finalistas

Nomeados finais para o Prémio GOLPE De VISTA 2017/2018