Golpe de Vista

A pulso até à Primeira Liga


Depois de percorrer os escalões de formação do FC Paços de Ferreira, Fábio Pacheco esteve perto de ser mais um talento desperdiçado. A subida a senior não trouxe as oportunidades desejadas e o médio andou de empréstimo em empréstimo. Primeiro, no Rebordosa, na extinta terceira divisão, onde atuou durante três temporadas. Sempre ligado aos castores, deu um passo em frente ao ser emprestado à UD Oliveirense. As portas da Mata Real continuavam trancadas, abrindo-se de par em par para estrangeiros, alguns de qualidade mais que duvidosa. Seguiu-se o Tondela, equipa desconhecida da zona centro, que militava na segunda divisão B. De aspecto franzino, poucos esperavam que o jovem Fábio Pacheco conseguisse singrar longe de casa. Mas desses poucos, Fábio era o que mais acreditava no seu sonho e enquanto os “velhos do Restelo” enumeravam as desvantagens desta aventura, o médio decidia-se por uma perspetiva diferente. Era uma oportunidade e para agarrar!

fabio pacheco

 

Quatro épocas depois o Tondela já não é uma anónimo, mas o simbolo maior de uma região, com ingresso quase garantido na Primeira Liga. Fábio Pacheco também já não é apenas mais um jovem formado no Paços. É uma das figuras maiores da formação do Tondela, que por ironia joga de verde e amarelo. Ironicamente, serão também os que nunca apostaram no médio franzino, que hoje se arvoram como amigos de Fábio Pacheco. É o futebol.

Ao Golpe de Vista, Fábio não esconde que a 1ª Liga é o objetivo, mas recusa entrar em euforias.

Golpe de Vista (GdV)- A cinco jogos do fim e com uma vantagem tão confortável, já se sentem na primeira divisão?

Fábio Pacheco (FP) – Não. Esse é o nosso objectivo mas ainda não está concretizado. Estamos a lutar para que aconteça o mais depressa possível. Pensamos apenas jogo a jogo.

 GdV – Tondela tem sido a tua casa nestes últimos anos. Já subiste o clube segunda liga e agora podes subir à primeira. Quando aí chegaste, alguma vez pensaste ser possível em tão pouco tempo chegar à 1ª divisão?

 FP – Sempre acreditei ser possível porque o CD Tondela é um clube organizado, que foi evoluindo muito. A ambição do clube foi uma das razões que me fez querer ficar em Tondela quando cheguei na 2ª Divisão B.

 GdV – Como é que a cidade vive o clube e este momento em particular?

 FP – Os adeptos estão eufóricos e sonham bastante com a possibilidade do clube subir à 1ª Liga. Somos constantemente abordados na rua com imensa alegria pelo percurso do Tondela mas temos os pés bem assentes no chão e com a plena consciência de que ainda faltam alguns pontos.

GdV – A recuperação da lesão que sofreste no rosto foi mais rápida que o previsto. Qual o segredo?

FP – O segredo foi o trabalho em conjunto com o Departamento Médico do clube e a capacidade que tive de jogar com a máscara sem que isso me limitasse de alguma forma.

 GdV – Jogar de máscara causa desconforto?

fabio pacheco

FP – Causa algum, principalmente no início. Nos primeiros jogos foi muito desconfortável mas agora habituei-me. A máscara reduz sempre um pouco o campo de visão e essa é a principal barreira a transpor.

 GdV – Aos 26 anos sentes que atingiste a maioridade futebolística?

FP – Sinto que estou preparado mentalmente para qualquer desafio. Os últimos anos fizeram-me crescer muito e com um projecto ambicioso como o do CD Tondela é mais fácil um jogador crescer porque quando se quer ganhar sempre a motivação está sempre presente.

 GdV – Segues a carreira do Paços de Ferreira ou converteste ao Tondela?

 FP – O Paços foi um clube que me formou e é natural estar atento ao percurso dele, assim como ao dos outros clubes que representei mas o Tondela é o meu clube e nestes quatro anos já vivi muitos momentos bons com esta camisola.

 GdV – Quando vês o Paços a apostar mais nos jovens, sentes alguma mágoa por não teres tido estas oportunidades?

FP  – Não sinto mágoa nenhuma. No meu ano o Paços não apostou mas trabalhei para evoluir e tenho orgulho nisso. Se o clube está agora a apostar nos mais jovens fico contente porque é sempre bom a aposta nos jogadores da formação.

GdV – Qual é a duração do teu contrato?

FP – O contrato com o Tondela termina no final desta época.

fabio pacheco

É assim, de forma simples e directa – as armas com que se distingue no líder da segunda liga – que Fábio Pacheco abre o seu coração na reta final do campeonato. Com 4 golos apontados, e oscilando entre o meio campo e o eixo defensivo, o médio formado no Paços de Ferreira está em final de contrato e com a primeira divisão no horizonte. Pretendentes não faltam. Será o Paços um deles? Será que o verde e amarelo com que Fábio chegará à primeira divisão, estarão estampados com o símbolo do castor?

Respostas que terão que ser dadas mais tarde, porque nunca é tarde demais para valorizarmos o que é nosso.

Ao Fábio e ao CD Tondela, onde atua também o Luis Machado, as maiores felicidades para o que resta do campeonato!

Image courtesy of Joaquim Jorge | Golpe de Vista

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *