Golpe de Vista

Seminário de animação e trabalho mostrou qualidade no concelho


Integrado no projeto da Escola de Guarda Redes do Freamunde, realizou-se o 1º Seminário do Guarda Redes, uma iniciativa organizada por José Ferreira e Pedro Meireles e que contou com a participação de 30 jovens guardiões e a presença dos profissionais Pedro Taborda e Dani.

O referido evento foi dividido em duas partes distintas: de manhã, um treino prático, e de tarde uma série de “palestras” com os treinadores, os guardiões profissionais presentes e um nutricionista a darem uma série de conselhos aos jovens.

O Golpe de Vista entrevistou alguns dos intervenientes, tendo os mesmo deixado a sua opinião em relação a este tipo de iniciativas, à qualidade existente no concelho no que diz respeito aos guarda redes e às caraterísticas de um guardião na atualidade.

José Ferreira (treinador de guarda redes / responsável do projeto): “A Escola do Guarda Redes era um projeto em que eu já pensava há muito tempo e este ano o SC Freamunde deu-me essa oportunidade para concretizá-lo! Já este Seminário surgiu de forma espontânea, com o objetivo de terminar o ano em grande e de mais uma vez beneficiar estes miúdos. Este projeto é para continuar na próxima época, a Escola de Guarda Redes não pode nem vai parar. É muito importante existir em todos os clubes um treinador do guarda redes, pois é uma posição muito específica que requer muito trabalho.”

Pedro Meireles (treinador de guarda redes dos sub 19 SC Freamunde / responsável do projeto): “Com a criação da Escola do Guarda Redes pretendemos que os mais pequenos interajam com os colegas mais velhos, pois a vivência de experiências entre eles é muito importante. Este setor está em expansão, mas no nosso concelho a existência de pessoas qualificadas para trabalhar com guarda redes ainda é muito reduzida. Nós aqui em Freamunde estamos a potenciar os guardiões para chegarem aos seniores, mas é difícil porque o clube está na 2ª Liga e por vezes não há espaço para os jovens.”

Pedro Taborda (ex guarda redes do Covilhã): “A importância destes eventos é conviver com os miúdos e transportar para eles aquilo que nós já fomos. Acabamos por ser referências para estes jovens e eles concentram-se mais quando têm profissionais junto deles nos treinos. É importante dizer-lhes o que podem encontrar no futuro e como podem crescer como guarda redes. Na atualidade um bom guarda redes, tem de ter concentração, não ter medo de errar, tem de ser ágil, ter uma boa leitura de jogo, um bom jogo de pés, o que é fundamental atualmente, e ter a confiança da equipa.”

Dani (guarda redes SC Freamunde): “Este tipo de iniciativas ajudam os jovens a crescerem como homens e guarda redes. Estes projetos só fazem bem a estes miúdos! Há aqui muita qualidade. Se isto for bem aproveitado o Freamunde pode sair em grande com estes atletas que estão aqui. Para mim ser guarda redes é ser responsável, ser competente, pois hoje em dia o guarda redes destaca-se no pormenor! Ser guarda redes torna-nos mais fortes, mais trabalhadores, mais humildes.”

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Prémio GdV – Finalistas

Nomeados finais para o Prémio GOLPE De VISTA 2017/2018